Cinco cursos do futuro que irão revolucionar o mercado de trabalho e conectar funcionários e empresas

Manter-se atualizado aumenta as chances de conseguir um emprego ou alcançar a promoção

O constante aprendizado é indispensável e um ponto positivo para a carreira profissional. Diante de tantas informações e atualizações, é muito importante buscar aperfeiçoamento. O profissional deve acompanhar o desenvolvimento de todas as áreas, se adaptando às novas tecnologias e temas que surgem e reinventam o mercado de trabalho.

Por isso é necessário ficar atentos às mudanças e dispostos a aprender novas funções para aprimorar nossas aptidões. Muitas delas podem ser substituídas por máquinas, por isso temos que mostrar nosso valor e buscar a atualização, que influencia diretamente nas nossas chances de conquistar vagas de emprego ou até mesmo a promoção tão desejada e fazer carreira na empresa que trabalha.

A Udemy, plataforma de cursos online, listou os treinamentos que serão tendência no ano de 2020. O estudo, “2020 Workplace Learning Trends Report: The Skills of the Future”, concluiu que profissionais e empresas precisarão se transformar para se destacar no mercado de trabalho. Cada vez mais os profissionais devem andar lado a lado para enfrentar as adversidades do futuro dos negócios.

A plataforma fala sobre cinco treinamentos que as empresas devem estudar para identificar as habilidades dos funcionários e treiná-los para enfrentar o trabalho e a concorrência neste ano. Inovação, tecnologia, storytelling e comunicação são alguns dos tópicos abordados nos cursos, que podem alavancar a carreira de um profissional no mercado de trabalho ou até mesmo garantir uma vaga na seleção de emprego.

Business women signature at document. Selective focus and soft flare filter.

Confira a lista dos cinco treinamentos indicados pela plataforma de cursos online:

1 – Mapear competências para definir os cargos e aprimorar os treinamentos

É como se fosse um organograma detalhado da empresa, identificando em níveis hierárquicos e visualmente organizado, os profissionais e quais competências precisam para desenvolver uma função. Assim a empresa consegue apresentar, de forma clara e explicativa, as habilidades de cada um. O mapeamento de habilidades ajuda os profissionais de Recursos Humanos a descobrirem e identificarem carência de funções.

Diante desta análise, as empresas devem treinar os profissionais para ocuparem estas funções, que serão cada vez mais exigidas nos empregos do futuro.

2 –  Elaborar “escolas de competências” para aperfeiçoamento dos colaboradores

A “escola de competências” começa a colocar em prática o mapeamento de habilidades começando a treinar os colaboradores em áreas que não dominam e a empresa sente a necessidade de atuar no mercado. Geralmente são trabalhados temas correlatos, que as empresas enxergam um potencial algum dia dentro do seu negócio. Os funcionários desenvolvem habilidades específicas para colocar em prática em áreas que podem atingir o seu negócio e estratégias de mercado.

Este programa capacita os colaboradores para evitar a contratação de pessoas em cima da hora, se um dia precisar de um profissional com específicas habilidades.

3 – Criar salas de aprendizado e estudos online

Este treinamento sugere que as empresas criem comunidades online de aprendizado para que os colaboradores possam recorrer a esta plataforma quando precisarem. Usando a tecnologia a favor, os funcionários podem usar o fórum online para sanar uma dúvida ou discutir sobre um projeto. É sobre a boa e velha conversa e troca de ideias, mas ao alcance de uma tela de smartphone ou computador a qualquer distância.

4 – Usar a Inteligência Artificial no departamento de Recursos Humanos

As equipes de Recursos Humanos das empresas devem usar a inteligência artificial como um aliado na seleção para potencializar o recrutamento. Realidade virtual, realidade aumentada e chatbots são algumas das opções viáveis e utilizadas para isto e podem fazer parte dos treinamentos.

5 – Usar os talentos dos funcionários em novas atividades

Analisando o talento do colaborador, eles não devem ter função fixa nas empresas, auxiliando projetos em outras áreas valorizando e realçando suas habilidades. Neste mercado de talentos interno, incentivando a prática de novas atividades, a empresa só tem a ganhar com as diferentes habilidades que se completam.

Confira mais dicas para se manter atualizado e conquistar vagas no mercado acompanhando o blog do Eu Quero